Compartilhe:

Contar histórias para os pequenos é mágico. Além do carinho e da intimidade, que esse momento proporciona com as crianças, fortalece o vínculo com o adulto.  Amplia também vocabulário, alimenta a imaginação e criatividade, raciocínio, ajudando também no letramento.

Letramento é um conceito amplo que significa a inserção numa cultura letrada. Ou seja, as pessoas precisam ser alfabetizadas e letradas. Não apenas saber escrever, mas sim saber utilizar os recursos da comunicação para conseguir compreender e ser compreendido.

A contação de história é essencial para o letramento e alfabetização, além de ser uma tradição. Sendo indispensável para a formação de leitores.

Dicas para ler para os pequenos:

  • Monte um acervo em casa, comprando um livro por mês é possível montar uma biblioteca interessante;
  • Crie o hábito de ler todos os dias para os pequenos;
  • Prepare um momento e um ambiente aconchegante para ler com eles;
  • Escolha histórias apropriadas a cada faixa etária;
  • Ensine as crianças a respeitarem e cuidarem dos livros desde pequenas, para não rasgar, não amassar;
  • Caso algum livre rasgue ajude a criança fazer o conserto do livro com fita adesiva;
  • Deixe alguns livros para as crianças em estantes baixas, que eles tenham livre acesso, podendo pegar sempre que tiveram vontade;
  • Apresente diferentes opções de gênero textuais: poesias, versos, rimas, trovas, trava-línguas, poemas, cantigas;
  • Não tem problema em repetir histórias;
  • Conte histórias sem livros também;
  • Solte a imaginação

 

Por Thalita Gomes

Pedagoga pela Universidade Federal do Paraná, pós-graduanda em Psicopedagogia pela Universidade Positivo. Atualmente Coordenadora Infantil e sócia da empresa Mamaworking. Experiência na educação Infantil foi professora, na escola Semeador do Saber, foi também voluntária no Instituto Ama. Participou de diversas oficinas na área de educação. Fez parte do projeto de pesquisa (2013-2014) Olhares sobre a escola, no Setor de Educação – UFPR. Atuou no Centro Acadêmico de Pedagogia – UFPR, sendo por um ano coordenadora geral. Participa do Fórum de Educação Infantil do Paraná (Feipar).